Dentro do pensamento marxista, mais especificamente do pensamento marxiano[1], a religião e a teologia fazem parte de uma superestrutura, de algo que não faz parte da infraestrutura que move a história, ou seja, a economia[2]. O pensamento revolucionário posterior a Marx, porém, começou a perceber a importância da cultura, da superestrutura[3]. Marx considerava a religião como ópio do povo. Na Rússia, o stalinismo/leninismo tentou abolir a religião, mas Gramsci e a escola de Frankfurt descobriram que a cultura é, de alguma forma, a religião exteriorizada. Todos parecem ter uma visão religiosa do mundo e a cultura seria a exteriorização desta visão de mundo.

O que você achou, ainda tem dúvidas que esse é um grande mal para a nossa fé?

Autor

O intuito desse site é trazer para você um conteúdo bem dinâmico. Um conteúdo católico que visa mostrar que é possivel ser católico um jovem e aproveitar a vida de maneira saudável.

Escreva um comentário